Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

contos do Jf

Nesse blog contem Contos reais que parecem fantasias e fantasias que parecem reais, se vc desejar se aventurar em escrever um conto  e  quiser compartilhar com a gente mande por email  ou por  whatsApp. contosdojf@gmail.com WhatsApp: +5597984051579

Nesse blog contem Contos reais que parecem fantasias e fantasias que parecem reais, se vc desejar se aventurar em escrever um conto  e  quiser compartilhar com a gente mande por email  ou por  whatsApp. contosdojf@gmail.com WhatsApp: +5597984051579

contos do Jf

04
Abr17

eu e meu padrasto (segunda parte)

Jf

Daquele dia em diante não pensei mais nele como padrasto mas como homem, a deseja-lo, pensando sempre naquela noite, pensamentos de uma menina em suas primeiras experiências sexuais, Ele começou a se esquivar de mim, e eu não conseguia entender. Um mês depois ele disse que iria viajar, dias mais tarde viajou, o tempo foi passando, depois de muito perguntar a minha mãe, ela falou que ele estava preso injustamente, e estava com advogado tentando libera-lo de culpa de contrabando e tinha muita vergonha não queria que o visitássemos, além disto era longe, outro estado, O tempo foi passando as recordações se apagando e as emoções do sexo adormecidas, meu corpo agora com 16 anos estava formado, os garotos da escola me bajulavam, seios rijos e trepidantes, minhas nadegas firmes e arredondas, desejava meu padrasto que estava longe, minha vida seguia lenta e sem graça. No dia de meu aniversário de 16 anos, apesar dos presentes disse a minha mãe que queria meu pai, e chorei, no dia seguinte chegou um telegrama, Sai hoje PT, chegarei amanha PT Parabens pelo aniversario rosa PT , quando minha mãe leu também fico pasma e quase desmaiou de alegria, Estávamos sonhando talvez com a mesma coisa, eu não podia deseja-lo ele era dela, mas eu o desejava intensamente, minha mãe arrumou toda casa e eu retornando minhas recordações com violência, meu padrasto continuava sendo MEU HOMEM, uma leve batida na porta e minha mãe correu abrir ...la estava ele em pé, com um enorme sorriso no rosto, nos envolvemos em fortes abraços, com lagrimas, de alegria e felicidade, Quando a noite chegou fiquei sozinha em meu quarto, meus pais felizes no seu, bem próximos de mim, ouvi os afagos os gemidos de gozo, os ruídos deles fodendo diversas vezes matando o tempo longo de espera. Gemeram e gritaram .... com a cama fazendo ruídos reveladores. Ouvindo aquilo me masturbei desesperadamente com o pensamento no corpo e no caralho do meu padrasto Pedro, só assim consegui dormir, ele me evitava, saia de manhã e voltava a tarde procurando emprego, Numa certa tarde chegou em casa um tio irmão de minha mãe, trazendo más notícias, minha avó estava muito doente e pedia que minha mãe fosse lá para passar alguns dias até ela se recuperar, minha mãe nem perguntou se eu queria ir, disse que eu tinha que ficar para cuidar de meu pai, deu-me algum dinheiros e um monte de instruções, combinou com uma vizinha de fazer almoço e janta para nós. No dia seguinte ela partiu com meu tio. Começou em minha mente, um desejo que eu procurava reprimir, não conseguia tirar de minha mente aquela noite, eu sentia que tudo seria diferente agora eu já era uma mulher eu tinha a certeza que ele iria me abordar, Logo depois que mamãe saiu começou o cerco.......senti em meu corpo e em suas atitudes, Sentado no sofá ele pediu um café, levantei para fazer, quando voltei com o café ele disse, -Rosa porque não senta aqui ao meu lado, após depositar a xícara sobre a mesa sentei-me ao seu lado apenas com a aproximação senti que não iria resistir, não teria forças para isto, meu desejo por ele estava fora de controle, resolvi me fingir de tola e ingênua, facilitaria para ele se assim me julgasse, -Rosa sabe que fiquei satisfeito que sua mãe foi cuidar de sua avó uns dias, - Saber eu sei, porque você está me dizendo mas você não gosta mais dela? - Gosto sim Rosa, adoro ela e adoro você também, eu disse ter gostado porque queria conversar com você, conhecer seu íntimo, seus desejos suas ânsias como você já e uma moça quero que saiba algumas coisas que sua mãe não diria, pois ela e cheia de preconceitos de tabus que herdou de seus avós, você está substituindo sua mãe, será que eu não mereço um carinho especial depois de tanto tempo.... - Merece sim paizinho Levantou-se também me levantei, ele abriu os braços e me puxou de encontro a seu corpo, fez força tentando encostar seu corpo ao meu, coloquei minhas mãos em seu peito e empurrei de leve, - Rosa este não e o abraço carinhoso que sonhei, parece que vc em medo de mim, Aquilo me comoveu profundamente emocionada passei os braços em sua cintura, satisfazendo sua vontade, apertei de encontro a ele sentindo seu membro duro em minha coxas, desvencilhei-me dele chocada e corri para meu quarto, almoçamos na vizinha e sai para resolver coisas de escola, jantamos e fui direto ao meu quarto, lembrei que a fechadura do meu quarto estava quebrada, nunca me preocupei em trancar, deitei-me cedo eu não queria que ele visse mas esperava sua visita, comecei a pensar como iria resistir......ele veio de mansinho sentou-se como naquela noite (primeira parte)passou as mão em meus seios, quando sua mão já encostava em minha buceta por cima da calcinha e camisola, eu abri os olhos e disse ESTOU ACORDADA papai, Ele foi embora de mansinho como chegou... Pela manhã ele falou comigo como se nada tivesse acontecido –Rosa quero falar com você, sentei-me ao seu lado no sofá e ele explicou-me como conheceu minha mãe e depois assumiu minha paternidade etc etc., sempre te reguei com muitos carinhos que agora você está me negando, ...... Almoçamos jantamos e novamente fui para meu quarto bem cedo, eu me mantinha acordada e ele passava frente ao meu quarto e me via de olhos abertos, No dia seguinte saiu e quando voltou. disse ter ido ao médico pois não estava bem, disse ele me receitou umas vitaminas e acho que você deveria tomar também, pois me parece abatida, se não fizer bem mau não faz.... Antes de me deitar tomei uma pílula daquela, me senti sonolenta e dormi. Acordei com a camisola suspensa e suas mãos em meus seios, reagi pedindo para ele deixar-me dormir, na outra noite ele me deu duas pílulas, logo adormeci, acordei com ele acariciando minha buceta tomada pelo susto não senti nenhuma sensação, novamente dei-lhe uma bronca, ele saiu; ..................... O ritual se repetiu ele quis me dar 3 pílulas, -papai acho que não vou tomar - porque Rosa -acho que me dá muito sono - nada e assim mesmo eu também tenho dormido feito pedra, -ta certo papai eu tomo, mas promete não mexer comigo, eu disse aquilo sem refletir, traduzindo meu pensamento, eu mesma fiquei surpresa de colocar as coisas assim tão claras, me senti ruborizada, - mexer com você, para com bobagens Fiquei até com vergonha pois pensei ter sonhado e estava culpando ele atoa, me senti sonolenta, Mas como ninguém mando em seu sono, sonhei que meu paizinho beijava minha buceta, passava a língua, passava a língua lentamente penetrando fundo, me sentia molhada, clitóris duro eu senti em um sonho que gozava era uma sensação gostosa e única, eu queria acordar mas não conseguia , em minha vontade de acordar, não deixei de sentir deliciosas sensações, pegava a cabeça de meu paizinho e forçava com as duas mãos contra minha buceta, enquanto o orgasmo se estendia pelo meu corpo senti me debater gemendo num gozo incrível, com extrema dificuldade sai daquele sonho, abri os olhos e num pulo repentino, fiquei em pé ao lado da cama, ainda em sonho pensei ter visto um vulto saindo do quarto, oi suor escorria de meu corpo, enquanto recobrava minha consciência, senti a buceta molhada pelo gozo, embora sonhando eu tinha gozado forte, meu subconsciente me dominava, até onde ia a profundidade de meus desejos Já ia me deitar novamente quando senti estar sem calcinhas, veio a dúvida foi sonho ? Resolvi mudar de atitude.... No dia seguinte, fui a mercearia coisas domesticas, deixei tudo preparado, para quando ele acorda-se Ele acordou dei-lhe um beijo carinhoso (na face), ele perguntou porque eu estava tão contente, disse que tive um lindo sonho, e o interessante que a uns 3 anos tive o mesmo sonho…gostei dos dois. Ele sorriu, Ficamos conversando, ele perguntou-me se tive algum namoradinho, - Não papai não tive -você e virgem, -fiquei corada com a pergunta, - claro, pois como meu futuro noivo iria me aceitar para casar e mamãe endoida se eu fizer algo a respeito....nem pensar uma coisa desta antes do casamento -mas nenhum carinho, mais usado com algum menino? -não papai, onde você quer chegar com isto ????? -voce não tem curiosidades sobre sexo eu posso te ajudar pois com certeza você já teve mestruação, -tive sim e mamãe me explicou tudo pode deixar Você já viu um homem nu, já viu o sexo de um homem. -não papai (pensei comigo já senti quando você gozou na minha mão e esfregou o caralho em minha buceta), -Ele sentou-se a mesa e fui buscar o café, coloquei sobra a mesa, eu fiquei sentada frente a ele, ele com uma mão baixada sob a mesa e a outra pegou o café, me olhando, quando foi pegar a colher que estava ao meu lado derrubou caindo ao meus pés ao meu lado..............abaixei-me para apanhar olhei na sua direção, sob a mesa ele tinha desabotoado sua bermuda inteira, estava sem cuecas seu sexo inteirinho para fora vi seu membro enorme e grosso cabeça avermelhada estava palpitando como em pulos....seu saco com pelos negros também a mostra, fiquei olhando fascinada e excitada eu realmente nunca tinha visto um membro de um homem, fiquei assombrada, achando que era uma coisa linda senti desejo de tê-lo nas mãos, custei a tirar minha vista daquela coisa que me excitava enormemente, com muito custo me levantei, sentia o sangue quente em meu rosto, não so pela posição que estava, como pela vergonha, pus a colherzinha no pires e olhei para meu padrasto, Aparentando a maior calma me perguntou -o que foi Rosa? você está vermelha? -Não foi nada pai, acho que dei mal jeito no corpo, Perguntou -você gosta de carinhos Rosa? -acho que gosto que tipo de carinho papai, - se eu quisesse acariciar lhe você deixava? -ora vindo de você claro que vou gostar você e meu pai -e até que ponto gostaria -Ora e carinho tem ponto, qual carinho voce queria me fazer? -posso dizer? -Pode sim -queria acariciar seus seios, - mas pra que ? isto e carinho ? -sim, e carinho, - ta bom mas por cima da roupa, Senti ele se ajeitando com a bermuda e se levantou, Chegou por trás da minha cadeira, inclinou-se e segurou meus seios, suavemente e começou alisa-los, meus mamilos que estavam duros ficaram mais duros ainda, ele começou a passar os dedos sobre eles, uma mão em cada seio, eu senti uma sensação gostosa, -está gostando Rosa - muito paizinho (até demais me sentia excitada Suas mãos tentaram entra por baixo do vestido, eu estava sem sutiã, na verdade não usava, disse papai por cima da roupa nós combinamos, - Rosa vamos fazer um contrato, -vamos contanto que não seja ruim ........(suas mãos continuavam me acariciando, eu excitada e sentindo que iria gozar, era uma sensação ótima e minha vagina molhava absurdamente) -Qual e o contrato -voce me deixa fazer carinhos em você quando não gostar eu paro de imediato, não quero ver voce triste comigo, -esta ssshhhhhhhhhhh cerrrrtooooo, paizinho (estava gemendo e gozando) mais um de cada vezzzzzzzz Acabava de gozar e ele claro que notou. Não aguentando mais largou meus seios e se dirigiu para o banheiro…. Fiquei imaginando o que ele teria ido fazer............ Mesma sabendo que ele iria descumprir o contrato, ele me julgava ingênua e tola tinha lhe dito que considerava minha virgindade importante, Levantei-me arrumei a mesa do café e sentei no sofá para ver TV passado um tempo ele retornou do banheiro e sentou-se na outra extremidade do sofá, pegou um livro e ficou lendo me olhando as vezes Nossa casa e de gente pobre de madeira apesar de nova tinha uns consertos a fazer, o banheiro ficava bem em frente ao quarto de meus pais, de dentro do banheiro dava para ver a cama de casal, na porta havia uma fechadura que foi quebrada e depis de retirada ficou somente o buraco a porta era fechada com um trinco, diminuto, o buraco foi tapado com um papel imitando madeira difícil de ser notado, Arranquei o papel e medi, ficava na altura de minha vagina, fui por fora e de la se olhava quase o banheiro inteiro, estava admirada com minha malicia e organização estava preparada para uma vingança, Voltei a sala e disse -papai quero que me faça um favor alias uns dois ou três, queria que conserta-se o buraco do banheiro, pois olhando por ele do lado de fora a gente vê tudo lá dentro queria que você muda-se o espelho de lugar pois olhando para o seu quarto da para ver sua cama inteira, e queria que coloca-se uma lâmpada forte no banheiro eu tomo banho a noite e aproveito para tirar cravos e espinhas, Ele se levantou e foi olhar tudo, voltou e disse -você tem razão vou ajeitar tudo, colocou roupa e saiu, Aproveitei sua ausência a ajeitei toda casa Almoçamos como sempre na ausência de minha mãe na casa da vizinha, dei uma saída e voltei por volta das 16hs, Ele estava no sofá, de bermuda e sem camisa, passei por ele, e fui ao meu quarto estava excitada, Disse -Pai vou tomar um banho, mas não vai olhar pelo buraco por favor. Entrei no banheiro e comecei tirar a minha roupa sabia que ele já deveria estar com o olho colado no orifício, Queria faze-lo morrer de excitação, despi-me lentamente, fazendo um verdadeiro strip-tease, tinha escolhido minha posição, exatamente frente a porta, onde ele pudesse me ver toda, fui tirando o vestido pela cabeça e depositei bem frente aos meus pés, so de calcinhas afaguei minha buceta por cima do tecido da calcinha, a excitação me dominava, pelo contato de meus dedos acariciando minha buceta e a certeza de que meu pai estava olhando pois de relance vi um olho colado ao buraco, Fui baixando a calcinha vagarosamente, enquanto que com a outra mão acariciava minha buceta já molhada e com o clitóris ereto duro, eu me achava bonita, os ralos pelos loiros, mal cobria os clitóris, os grandes lábios estavam inchados pelo tesão, meu clitóris sobressaia da buceta grande, sempre aflorou de minha buceta achava anormal, comecei a bolinar ele, Abri minha buceta o máximo, para que ele visse ela inteira e como estava úmida escorrendo mostrei meus dedos molhados na direção do orifício da porta, passei por cima das roupas no chão e virei de costas na direção dos seus olhos ali grudados, abaixei-me como que para apanhar as roupas, e abri as pernas, ao máximo, baixando meu ventre e empinando a bunda, queria que ele me visse por tras, toda aberta e me masturbei violentamente a alguns centímetros dele, quase dava para sentir sua língua, passei o dedo molhado em meu cuzinho, e novamente enfiei na buceta, me virei ficando de frente novamente abrindo minha buceta e esfregando com um mão meu clitóris e com a outra, minha buceta Marmurando .aiiiiiiiiiiiii paizinhoooooooooooooooo, shhhhhhhhhhhh vou gozzzzaaaaarrrrrrrrrr, fiquei ali gozando com as pernas tremendo joelhos dobrando, em espasmos com a buceta totalmente ensopada, fiquei ali parada alguns minuto me recobrando . já não via mais nada no orifício, lentamente puxei o trinco e abri a porta, o vi no quarto de costas fingindo estar dormindo, e notei no chão uma enorme quantidade de semem, ele tinha se masturbado molhando a porta que escorreu ate o chão fazendo uma pequena poça de porra, Tomei um banho demorado Fim da segunda parte Rosa..............

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D